sábado, 9 de maio de 2009

Les jours tristes..

Mais de uma semana se passou.. e eu não apareci. Os dias foram longos, recheados de cafés, livros e música.
Mas também foi acompanhado da solidão.
Ela, sempre a espreita, caminha pelas pontas dos pés, com a respiração lenta e pesada, a se aproximar quando percebe que meus pensamentos se direcionam para o escuro. E então, senta em meu colo e não me larga.
Nesse tempo eu descobri (ainda que tarde) que as pessoas, famílias e seres são todos completamente diferentes e completamente iguais.
E que o tempo realmente não é exato e igual para todos nós.
Poucos conseguem facilmente o muito.
Muitos conseguem com muito esforço o pouco.
Eu fico na 2° categoria e sinto o gostinho bom (como o do café tomado na hora do preparo) de como é conseguir meus intentos com muito custo e luta, ainda que sejam poucos.
A espera.. a imaginação.. a batalha..
É bom.

Deixo minhas lamúrias pararem por aqui.

E passo a mais uma dica de livro:

"Eu sou o Mensageiro"

De Markus Zusak

Confesso que me senti na pele do Ed Kennedy.
É bastante difícil ter uma vida difícil e ainda conseguir ajudar outras pessoas de alguma maneira.
Será que estamos preparados para mandar as cartas? Ou para recebê-las?
As perguntas só podem ser respondidas se você ler o livro.
Fico por aqui, mas não antes de deixar um recado para uma pessoa super especial:



"Perder a companhia diária de um amigo, é como se rasgassem diante de seus olhos todas as páginas de seu livro predileto".

Bonne nuit petit's.