sexta-feira, 3 de abril de 2009

Me aventurando em postar isso!

Salut!

Tá. Nunca me atreveria a postar em outro lugar que não um blog, fiz esse conto a um tempo atrás, revisei e acho que posso postar sem problemas.
Eu tenho gosto por contos eróticos, escreve-los é um "prazer" =]. De verdade, acho que quando existe um mistério que não o vulgar fica muito mais instigante.

Agora o jogo pra você!

O forte e doce aroma do quarto envolto de souvenirs pelo tapete carmim, não embriaga a respiração da criatura que dorme sobre o canapé estofado. É uma menina.
Do vinil, num canto sobre os livros empilhados, se faz ouvir uma melodia de voz infantil e sensual, que ecoa pelo recinto.
O som se mistura a fragância levando a um hipnotismo.
As horas vivas antes desse momento, foram longas.

Ele estava sentado nesse mesmo canapé, ora olhando para o copo de wísque, ora para ela, cabeça baixa, nenhuma palavra.
Seu frágil corpo lhe oferecia culpa. Mais o desejo permanecia aceso. Ela não se importava em ser derrubada. Não se importava em ser coagida. Suspirava. Despejava seu hálito cálido e doce sobre seu peito nu. Havia momentos em que se soltava e saia correndo pelo quarto. Afim de que a prendesse e recomeçasse tudo. Isso fazia com que ele a quisesse ainda mais.
Suas mãos deslizavam por sobre a perna suave e quente, chegando até seu ventre, onde não conseguia parar de oscular. A pele clara, de encontro ao luar que entrava pela janela, se arrepiava a cada toque, a cada aperto. Os cabelos negros cobriam o lençol bianco purissímo. E quando acontecia a acuidade já não se ouvia somente a melodia ambiente. Os suspiros cada vez mais prolongados se glorificavam de sua boca. E ele não parava até saírem lágrimas de prazer daqueles olhos infantis.



Bien,
que fique claro não ser pedofília, apenas um romance com diferença de idade.


------>>

Não tentarei ser constante.
Somente escreverei quando sentir que devo escrever
Minha mente, toda embaralhada, tenta organizar cada pensamento, cada decisão tomada a dias atrás, pessoas que conheci, pessoas que pensei conhecer, situações estranhas, desejos, sonhos, planos.. tudo isso para que eu possa transmitir corretamente nessa espécie de Diário.

Bonne nuit!

2 comentários:

Milene disse...

Sah!

Incrível seu blog, incrível o seu conto!

Lembra a Liesel, lembra vc... pessoas que carregam o peso de suas dores e desilusões nas costas mas evocam pelo olhar e se expressam com a alma....

Vc é muito especial Sah, uma menina muito distinha e terna.
Não guarde para si toda essa sua visão crítica e incontroversa do mundo e pessoas... e nunca se censure.. Infelizes aqueles que não possuem a sensiblidade de conceber suas palavras traduzidas através de seus contos.

Somos subversivas e é por isso que muitas vezes não somos compreendidas...

"Toda unanimidade é burra"

Só por isso.

Beijos, Sah!
E vida longa a liberdade de expressão!

Paigge disse...

isso me lembrou tanto o primeiro dia em que assisti a Lola ( lolita )